A Força Aérea Portuguesa (FAP) decidiu suspender, esta sexta-feira, e retomar na segunda-feira as operações do exercício multinacional "Real Thaw 2019", após a morte de um militar português na base de Beja durante um salto de queda livre.

"Na sequência do que aconteceu, foi decidido parar e suspender durante hoje, sábado e domingo as operações", que "serão retomadas na segunda-feira", disse à agência Lusa o chefe de relações públicas da FAP, tenente-coronel Manuel da Costa.

O militar paraquedista português, de 34 anos, morreu hoje na sequência de um acidente ocorrido às 09:40, durante a execução de um salto de queda livre operacional integrado no "Real Thaw 2019", que começou no dia 22 deste mês, a partir da Base Aérea n.º 11, em Beja, inclui operações em vários pontos de Portugal e tem data de conclusão marcada para 04 de outubro.

Durante a execução do salto, "o sistema de paraquedas não funcionou devidamente, tendo resultado na queda do militar dentro do perímetro da Base Aérea n.º 11", explicou o Exército, em comunicado enviado à agência Lusa.

Após a queda do militar, "foram acionados os procedimentos de emergência médica", indica o Exército, referindo que está a realizar o processo de averiguações para apurar todas as circunstâncias em que ocorreu o acidente.

O Exército lamentou a morte do militar e referiu que já apresentou as "mais sentidas condolências" e acionou o apoio psicológico à família.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, já manifestaram "consternação" com a morte do militar e condolências à família.

O "Real Thaw 2019" envolve meios e militares da Força Aérea, da Marinha e do Exército de Portugal, das forças aéreas de Espanha, França e Estados Unidos da América e da NATO, num total de 600 militares e 21 aeronaves.

Segundo a promotora do exercício, a Força Aérea, o "Real Thaw 2019" visa avaliar e certificar a capacidade operacional de militares da FAP, "criando também condições únicas para que os meios da NATO treinem conjuntamente, desenvolvam interoperabilidade e reforcem a prontidão".

As operações do "Real Thaw 2019" decorrem dia e noite, no ar, em terra e no mar e foram planeadas para "terem o mínimo impacto no meio ambiente e na população", refere a FAP.