O debate sobre o estado da nação, previsto para quarta-feira no parlamento, foi adiado por dois dias para sexta-feira de manhã, disseram à Lusa fontes parlamentares.

Os partidos com assento parlamentar, acrescentaram as mesmas fontes, foram informados esta segunda-feira desta alteração da agenda.

O Expresso “on-line”, que avançou com a notícia, afirma este pedido de adiamento se relaciona com o conselho europeu, em Bruxelas, em participa o primeiro-ministro, e que decorreu este fim de semana e poderá terminar apenas na terça-feira.

O debate do estado da nação, com que a Assembleia da República encerra o ano parlamentar desde 1993, realiza-se na sexta-feira de manhã.

António Costa deveria ter regressado a Lisboa no domingo, mas o impasse nas negociações prolongou a cimeira de líderes europeus.

A agenda da semana da Assembleia da República, a última antes das férias de verão, inclui na quinta-feira uma “maratona” de votações de projetos e de propostas de lei, que serão ultimadas, na especialidade, na terça-feira.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, está a intensificar as conversações bilaterais com os líderes europeus sobre o relançamento comunitário após a crise, esperando angariar consensos para o plenário, que retoma às 17:00, anunciou o seu porta-voz.

Num momento em que permanece o impasse nas negociações entre os líderes dos 27, no Conselho Europeu iniciado na sexta-feira em Bruxelas e consagrado ao plano de relançamento europeu após a crise gerada pela pandemia, Charles Michel tenta, horas antes da retoma da sessão plenária, ultimar as consultas aos chefes de Governo e de Estado da União (UE).

Para isso, estão a ser realizados "'briefings' técnicos e telefonemas com os líderes antes do plenário, que começará agora às 17:00", menos uma hora em Lisboa, precisa o porta-voz na publicação, que é acompanhada de uma fotografia de Charles Michel a falar ao telefone num terraço do Conselho Europeu, local em que tem promovido várias conversações à margem.

A retoma dos trabalhos formais estava inicialmente prevista para as 14:00 de Bruxelas (13:00 em Lisboa), tendo sido depois adiada para as 16:00 e, agora, com a hora estimada a ser 17:00.

O Conselho Europeu, que decorre em Bruxelas desde sexta-feira de manhã em busca de um acordo para o relançamento europeu após a crise da Covid-19, encontra-se já no seu quarto dia, não tendo os líderes chegado ainda a uma plataforma de entendimento em torno do Quadro Financeiro Plurianual para 2021-2027 e o Fundo de Recuperação.

Esta é já uma das cimeiras mais longas da história da UE, aproximando-se a passos largos daquela que fixou o recorde, a cimeira de Nice em 2000, que se prolongou por cinco dias.

/ HCL