A família da criança brasileira que terá sido curada por intercessão de Francisco e Jacinta Marto vai participar no cortejo do ofertório de sábado, em Fátima, anunciou esta segunda-feira a página oficial na Internet da visita do Papa.

Este "milagre" foi reconhecido pelo Vaticano e está na base da canonização dos dois pastorinhos.

“A criança, hoje jovem adolescente, cuja identidade é mantida sob reserva, bem como os pormenores da cura, vai também estar presente na eucaristia, durante a qual o papa Francisco vai canonizar os dois videntes”, explica.

De acordo com a mesma fonte, no cortejo do ofertório participa também a família de um vigilante do santuário “que tem a particularidade de ser argentino e de se chamar Jorge”, como o papa.

“Para a eucaristia, o Santo Padre vai paramentar-se na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, depois de se ter recolhido, em oração privada, junto dos túmulos de Francisco e Jacinta”, acrescenta.

À entrada para a basílica, Jorge Bergoglio vai saudar o sacerdote mais idoso de Portugal, Joaquim da Cunha, que faz 105 anos em julho.

Apesar de utilizar os paramentos trazidos do Vaticano, o papa usará também uma estola oferecida pelo santuário, que é branca e bordada a ouro e “tem motivos inspirados no manto de Nossa Senhora de Fátima”, desenhados pela arquiteta Joana Delgada, autora da custódia para a bênção dos doentes (que também vai ser utilizada pelo papa).

A página oficial na Internet da visita do papa refere ainda que a missa e o rito de canonização de Francisco e Jacinta Marto serão em português, com algumas leituras em várias línguas.

“A procissão de entrada para a missa inclui o andor com a imagem de Nossa Senhora, ornamentado, como sempre, pelo Santuário de Fátima e transportado por cadetes da Academia Militar”, explica.

Os dois relicários em forma de candeias com as relíquias de Francisco e Jacinta, transportados pela postuladora da causa da canonização dos dois pastorinhos, Ângela Coelho, e pelo assessor da postulação, Pedro Valinho Gomes, integram também a procissão.

Estes estarão ladeados por cerca de 20 crianças e jovens, com idades compreendidas entre os nove e os 16 anos.

“No novo presbitério deverão estar cerca de 140 pessoas, entre as quais oito cardeais, 73 bispos e arcebispos, além dos membros leigos do séquito papal”, refere.

Do séquito papal fazem parte 35 pessoas, que o vão acompanhar sempre durante a peregrinação a Fátima.

Entre elas estarão os cardeais eméritos portugueses, José Saraiva Martins e Manuel Monteiro de Castro, o presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, o cardeal Rino Fisichella, o cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, o bispo de Leiria-Fátima, António Marto, o reitor do santuário, Carlos Cabecinhas, os dois médicos pessoais do papa, o secretário e o cerimoniário.

O rito de canonização começará logo após a saudação inicial da missa, proferida pelo papa.

A mesma fonte explica que, apesar de a eucaristia ser celebrada em português, haverá leituras em línguas estrangeiras, como, por exemplo, a segunda, em espanhol.

“A oração dos fiéis, como é tradição nas peregrinações internacionais aniversárias, será rezada em várias línguas: português, italiano, inglês, francês, polaco e árabe”, sendo a última lida por Glória Maluf, uma libanesa das Servas do Coração Imaculado de Maria, que se encontra em Fátima desde outubro de 2000.

“Na súplica em árabe, pede-se pelos migrantes, pelos pobres e pelos refugiados, ‘para que, por intercessão de Maria, que conhece as suas dores, se sintam acolhidos por todos os que lhes oferecem dignidade e razões de espera’”, avança.

No momento da oração eucarística, Francisco estará acompanhado no altar por Manuel Clemente e por António Marto. Para a comunhão, estão previstos 400 pontos de distribuição, dentro e fora do recinto. Depois deste momento, a custódia da bênção dos doentes é levada para o altar.

“O papa deixa a cátedra de onde presidiu à missa e faz um breve momento de adoração ao santíssimo sacramento, dirigindo depois uma saudação aos doentes”, explica.

Levando a custódia nas mãos, Jorge Bergoglio vai dirigir-se à zona destinada aos doentes, na colunata norte, e fará “a bênção com o santíssimo sacramento, cerimónia que quis fazer pessoalmente”.

“A custódia regressa ao altar e, após um último momento de adoração, o papa faz a bênção de toda a assembleia com o santíssimo sacramento”, refere.

A página oficial na Internet acrescenta que, no final da celebração eucarística, “segue do altar a procissão do adeus e depois dirige-se em papamóvel para a Casa de Nossa Senhora do Carmo, onde almoça com todos os bispos portugueses, último ato oficial da peregrinação a Fátima”.