“Estas condições são únicas. Não há mais nenhum português que seja convidado pelo Estado a ter estas condições de remuneração”, disse Paulo Macedo aos jornalistas no final da Conferência anual do Infarmed, que decorre em Lisboa.






“Os médicos têm condições que outros portugueses não têm. Têm pleno emprego, porque os portugueses precisam deles”, sublinhou Paulo Macedo, recordando que até agora cerca de cem clínicos tinham optado por regressar ao SNS, após a reforma.














Redação / AM