Uma agente de execução do Porto foi formalmente acusada de peculato por alegadamente se ter apropriado de 15.313,54 euros depositados em processos executivos, informou esta terça-feira a Procuradoria do Porto.

A acusação foi deduzida pela 12.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto, que trata de criminalidade económico-financeira.

Resumindo o processo em nota na sua página eletrónica, a Procuradoria do Porto diz que o desvio da verba ocorreu entre março de 2010 a janeiro de 2013.

Este montante era resultante da soma de diversas quantias que [a agente de execução] recebera em processos executivos ao longo daqueles anos, como produto da venda de bens penhorados ou como pagamento voluntário de dívidas”, indica a nota.

Acrescenta que o montante “devia ser aplicado unicamente no pagamento das quantias exequendas e dos encargos com o processo”.