"Somos conhecedores dessas suspeitas em alguns meios, amplamente eclesiásticos. Queremos acautelar a nossa total transparência", disse o padre Pedro Carlos Miranda, vigário geral da diocese de Coimbra.