Um dos irmãos de Valentina, a menina encontrada morta neste domingo, depois de dada como desaparecida na quinta-feira, foi testemunha do crime, sabe a TVI.

O testemunho desta criança pode ser uma prova essencial para o crime de homicídio qualificado, quer em relação ao pai como à madrasta. Ou seja, o testemunho do irmão mais velho de Valentina a juntar às marcas que apontam para estrangulamento e asfixia que o corpo apresentava, podem fazer cair por terra o cenário de acidente relatado pelo pai.

Na conferência de imprensa desta tarde, a Polícia Judiciária (PJ) admitiu que falou com o irmão mais velho de Valentina, que tem 11/12 anos. Os restantes irmãos têm 4 anos e o mais novo tem meses.

A PJ está convicta de que a menina de nove anos foi morta em casa, num "contexto de violência" e não na sequência de um acidente, como alega o pai, Sandro Bernardo.

A TVI sabe que Valentina terá sido asfixiada.

O pai de Valentina comunicou o desaparecimento da filha na manhã de quinta-feira, mas a PJ acredita que a menina foi morta em casa na quarta-feira e o seu corpo levado para uma zona de mato ao final do dia.

Pai e a madrasta vão ser interrogados na segunda-feira à tarde no Tribunal de Leiria. 

Veja também:

Henrique Machado / Atualizada às 21:11