O Ministério Público abriu um inquérito ao surto de Mora, confirmou fonte da Procuradoria-Geral da República à TVI.

Segundo, a Procuradoria "o inquérito tem por objeto uma situação concreta relacionada com o suto de Mora, no âmbito do qual não deixarão de ser investigados todos os factos que chegarem ao conhecimento do Ministério Público e que sejam suscetíveis de integrarem a prática de crime".

A TVI sabe ainda que o "inquérito é dirigido pelo Ministério Público do DIAP de Évora".

Recorde-se que o número de pessoas infetadas com covid-19 na vila de Mora, no distrito de Évora, subiu esta sexta-feira para 56, mais quatro novos casos, avançou à TVI24 o presidente da câmara, Luís Simão.

O próprio autarca encontra-se em quarentena depois de dois funcionários da Câmara de Mora terem testado positivos. 

Segundodo Luís Simão, há mais duzentas pessoas que se encontram em confinamento e que os estabelecimentos comerciais estão praticamente todos encerrados.

No Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), permanecem internados cinco doentes, quatro deles nos cuidados intensivos e um em enfermaria.

Recorde-se que esta semana, o presidente da Câmara de Mora, Luís Simão, já tinha afirmado ter “conhecimento” de “investigações em curso pelas autoridades policiais” sobre o surto, que admitiu poder resultar da “incúria de alguém”.

“Daquilo que tenho conhecimento, é que há investigações em curso pelas autoridades policiais, acerca do doente zero”, porque “desconfia-se que pode ter havido aqui incúria de alguém”, afirmou Luís Simão.

O surto da doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 pode dever-se a “alguém que não se terá comportado como devia, no sentido de se ter percebido mais cedo a origem do surto”, declarou o autarca.

“Espero que não se confirme isso, naturalmente. As autoridades estão a investigar”, mas, “se se apurar responsabilidade de alguém, essas pessoas devem ser severamente responsabilizadas”, defendeu.

A GNR também tinha confirmado à Lusa, que "continuava a efetuar diligências no sentido de apurar pessoas que eventualmente possam ter desrespeitado ou estejam a desrespeitar as normas em vigor estabelecidas pela Direção-Geral da Saúde”.

Presidente da câmara desconhece inquérito do Ministério Público ao surto de Mora

O presidente da Câmara de Mora, Luís Simão, disse esta sexta-feira desconhecer a instauração de um inquérito por parte do Ministério Público (MP) ao surto de covid-19 nesta vila do distrito de Évora, mas exortou ao apuramento de responsabilidades.

Se abriu [um inquérito] e se houver alguém que se tenha comportado menos bem, que seja responsabilizado e sofra as consequências de um ato que não foi o mais adequado no momento em que vivemos. Se assim foi, que se apurem responsabilidades”, afirmou Luís Simão em declarações à agência Lusa

Patrícia Pires / com Lusa (atualizado às 23:21)