A PSP multou sete bares de Vila Real na última noite, devido ao incumprimento das normas sanitárias em vigor.

Concretamente, foram levantados sete autos de contraordenação a proprietários de bares na zona do Pioledo, durante uma operação de fiscalização.

O comissário Pedro Carvalho, da Polícia de Vila Real, afirmou que os autos de notícia por contraordenação foram levantados por venda de bebidas alcoólicas fora do horário permitido (após as 21:00 fora do âmbito de refeição), desrespeito pelo distanciamento entre mesas no interior do estabelecimento e ainda por excesso de lotação.

“Estas ações visam marcar a presença policial no que toca à prevenção da criminalidade, mas também fiscalizar as medidas que estão em vigor e que foram decretadas pela Direção-Geral da Saúde”, salientou Pedro Carvalho.

A PSP sensibilizou e alertou ainda os clientes que se encontravam sem máscara, mesmo não havendo consumo.

A operação teve início pelas 23:00 de sexta-feira e terminou à 01:00 de hoje, hora de encerramento dos estabelecimentos, e envolveu 25 agentes de várias valências, desde a investigação criminal, equipas de intervenção, brigadas de fiscalização e elementos do patrulhamento.

A ação incidiu no Pioledo, no centro da cidade, local onde há uma semana uma escaramuça que envolveu vários jovens resultou em ferimentos ligeiros em três deles e em danos na porta de um banco e numa máquina multibanco.

São recorrentes as queixas dos moradores daquela zona de bares devido principalmente ao barulho provocado pelos consumidores que permanecem no exterior dos estabelecimentos mesmo após o encerramento destes e a situações de insegurança.

Localizado no centro histórico, neste local concentram-se vários estabelecimentos de diversão noturna de Vila Real e reúnem-se muitos jovens.

Se forem precisos mais meios eles serão afetos para proceder a estas ações de fiscalização que visam sempre a prevenção da criminalidade neste local, onde nós sabemos que existe algum consumo de álcool e que às vezes leva a alguns exageros por parte da juventude que frequenta estes estabelecimentos”, referiu Pedro Carvalho.

O responsável explicou que o reforço policial é feito mediante as situações em concreto, mas “sempre garantindo a segurança das pessoas e dos polícias”.

/ CM