A droga apreendida tinha "um elevado grau de pureza" e, segundo um comunicado da Polícia Judiciária, serviria para fabricar 40 mil doses individuais. Dois cidadãos estrangeiros foram detidos com a cocaína, que um transportava numa mochila e outro trazia dentro do organismo.

As detenções e apreensão da droga foram levadas a cabo no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da Polícia Judiciária.

A detenção dos suspeitos consumou-se no Aeroporto Humberto Delgado – Aeroporto Internacional de Lisboa, em virtude dos mesmos terem sido encontrados na posse de significativas quantidades de cocaína, que transportaram desde um país da América Latina para Portugal, um deles dissimulada na respetiva bagagem e o outro no interior do organismo em cápsulas que previamente ingerira", refere o comunicado da Judiciária.

A Polícia Judiciária refere que os "dois cidadãos estrangeiros, de 37 e 59 anos de idade, sobre os quais recaem fortes suspeitas da prática do crime de tráfico de estupefacientes", transportavam cocaína que "apresentava um elevado grau de pureza sendo que, caso chegasse aos circuitos ilícitos de distribuição, seria suficiente para a composição de pelo menos 40.000 doses individuais".

Os detidos foram apresentados à autoridade judiciária competente a fim de serem submetidos a primeiro interrogatório judicial de arguido detido, ficando a aguardar os ulteriores termos do processo sujeitos à medida de coação prisão preventiva", salienta o comunicado da Polícia Judiciária.

O comunicado sublinha ainda que a Judiciária, com o apoio "de outras autoridades nacionais bem como com o apoio das autoridades de outros países", tem desenvolvido nos últimos meses, "diversas ações tendentes a identificar e desmantelar estruturas criminosas que se dedicam à introdução de cocaína por via aérea em território nacional e no espaço europeu".