A Iguarivarius, empresa cujo presidente não executivo do Conselho de Administração foi até há pouco tempo o antigo ministro Mário Lino, e que já faturou mais de 200 milhões de euros na Venezuela com o negócio da exportação de pernil de porco, foi alvo de buscas da Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas de branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada, sabe a TVI.

No âmbito da operação Navidad, foram realizadas 10 buscas domiciliárias e não domiciliárias, sendo o principal alvo da investigação o líder da Iguarivarius, Alexandre Cavalleri, empresário que está igualmente ligado ao Judo do Sporting.

Alexandre Cavalleri foi detido por posse ilegal de armas, no caso uma pistola metralhadora.

Existem suspeitas da prática dos crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.

Sob suspeita estão vários contratos, celebrados entre 2013 e 2016, entre uma empresa estatal venezuelana e uma sociedade pertencente a um grupo empresarial português, no valor de dezenas de milhões de euros, respeitante à venda de várias toneladas de carne", esclarece o comunicado da PJ. 

 

Existem fortes suspeitas de que os elevados proventos obtidos com o referido negócio não tenham sido integralmente declarados fiscalmente, bem como de que os arguidos tenham recebido comissões avultadas através de sociedades offshore, lesando o Estado português em milhões de euros"lê-se no mesmo documento. 

O inquérito-crime é dirigido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Henrique Machado