Depois de ter estado suspensa, a vacina da AstraZeneca volta hoje a ser administrada em Portugal continental. Mais de 100 mil doses ficaram por inocular.

Nos Açores e na Madeira a vacina já voltou a ser administrada.

No dia 15 de março, Portugal decidiu suspender toda a vacinação contra a covid-19 com o produto da AstraZeneca. O nosso país tornou-se assim o 12.º na Europa a anunciar esta decisão.

Esta recomendação teve como base o "princípio da precaução em saúde pública", e surgiu depois de terem sido conhecidos novos casos de reações adversas após administração da vacina da AstraZeneca, que vão desde graves reações alérgicas até episódios de tromboses, provocados por coágulos.

Na semana passada, o primeiro-ministro pediu calma aos portugueses e revelou que também ele foi vacinado com o fármaco da AstraZeneca. António Costa voltou a referir na altura que a decisão de suspender a administração da vacina deveu-se a uma "mera precaução" e disse que a situação deveria ficar resolvida no final da semana, o que acabou por acontecer.

Apenas três dias depois da suspensão da vacina, o Infarmed, a Direção-Geral da Saúde e a task force de vacinação entenderam que Portugal devia reverter essa decisão, na sequência das palavras da Agência Europeia do Medicamento, que entende que o produto é "seguro e eficaz".

Nessa reunião, o presidente do Infarmed, Rui Santos Ivo, explicou que a principal conclusão dos especialistas europeus é que "os benefícios da vacina da AstraZeneca são claramente superiores a quaisquer riscos que foram identificados".

Lara Ferin