Chama-se Tory Burch, é norte-americana, e tem estado nas "bocas do mundo" nos últimos dias, depois de se ter apropriado da bem portuguesa camisola poveira e a ter comercializado por quase aproximadamente 700 euros. Mas quem é, afinal, a polémica estilista?

Tory tem 54 anos e é dona de uma marca que se tornou num império à escala global. Segundo noticia o site Bussiness of Fashion, a americana tem mais de 250 lojas físicas espalhadas por todo o mundo e a sua marca é subvencionada em mais de três milhares de lojas de moda e decoração. 

Nasceu no estado da Pensilvânia, mas cedo se mudou para Nova Iorque, onde se formou em arte e trabalhou pela primeira vez com moda, com o estilista sérvio Zoran. Passou pela revista de moda Harper's Bazaar e chegou a trabalhar na comunicação da marcas de luxo como Ralph Lauren e Vera Wang.

Lançou-se em nome próprio há 17 anos, aquando da inauguração da sua primeira loja em Manhattan, a "Tory Burch Original". 

Desde então, Tory tem vindo a conquistar um poderosíssimo e premiado império, assente na promoção e empoderamento das mulheres. Em 2020, em parceria com a United Healthcare Workers East, distribuiu roupas no valor de quatro milhões de euros e 3 mil metros de tecido para fabrico de máscaras, para os profissionais de saúde norte-americanos que estavam na linha da frente do combate à pandemia

Segundo a Forbes, em 2015, Tory Burch foi considerada a 73ª mulher mais poderosa do mundo, com um património líquido de aproximadamente 720 milhões de euros. 

Nos últimos dias, a designer de moda norte-americana tem sido assunto recorrente nas notícias nacionais depois de ter vendido, durante algumas horas, no seu site, uma camisola que descrevia como "inspirada na baja mexicana", mas que se tratava de uma cópia da famosa e bem portuguesa camisola poveira, peça de artesanato da Póvoa de Varzim. 

Diogo Assunção