Um homem de 43 anos foi detido por suspeita de ter ateado um incêndio numa habitação no Porto cujo recheio ficou “seriamente destruído” e ter colocado em perigo as casas vizinhas, divulgou, esta terça-feira, a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado a PJ especifica que, com a colaboração da PSP de Rio Tinto, no distrito do Porto, identificou e deteve, fora de flagrante delito, o presumível autor de um crime de incêndio numa residência integrante de uma "ilha" habitacional.

A mesma nota descreve que o fogo terá sido provocado sábado com recurso a um isqueiro.

A PJ aponta que o suspeito apresentava um “aparente desequilíbrio resultante do consumo de estupefacientes, álcool e violência doméstica”.

O detido terá provocado a ignição na cama e recheio do quarto de dormir da residência de sua mãe, após um episódio de discussão e violência doméstica exercida sobre a progenitora, face a recusa desta de lhe dar dinheiro”, descreve a PJ.

A mesma força policial indicou que “o interior da residência ficou seriamente destruído e, não fora a pronta intervenção dos Bombeiros Voluntários de Rio Tinto, cujo quartel fica próximo, poderia ter provocado a destruição completa da mesma, bem como das restantes habitações da ‘ilha’, que fica enquadrada por prédios habitacionais”.

Para além de afetar consideravelmente a habitação, o incêndio colocou assim em perigo as habitações confinantes”, descreve comunicado da Diretoria do Norte.

O detido tem antecedentes por tráfico de estupefacientes e vai ser presente para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.