Um homem de 37 anos ficou em prisão preventiva por ser suspeito de mais de 300 crimes de abuso sexual sobre uma criança e de 10 crimes de abuso sexual sobre pessoa incapaz de resistência, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) revela que os factos relativos à criança começaram em 2020, "quando o autor, familiar direto, passou a residir com a mesma, num período de ausência da mãe da menor".

O suspeito aproveitava-se "da relação de confiança, de proximidade e de dependência familiar" para a molestar sexualmente, de forma repetida.

Entretanto, no início deste ano, o homem "tornou-se o principal cuidador de uma familiar idosa dependente, aproveitando-se desse facto para a submeter a atos sexuais graves", lê-se no comunicado.

A criança em causa tem atualmente 12 anos e a pessoa incapaz de resistência tem 74 anos e debilidades psicomotoras.

Os factos foram praticados no distrito de Lisboa e, segundo a PJ, o homem está indiciado da prática de mais de 300 crimes de abuso sexual, na sua forma agravada.

O homem, que possui antecedentes criminais por tráfico de droga, foi detido e presente a primeiro interrogatório, onde lhe foi aplicada a medida de coação mais gravosa, prisão preventiva.

/ HCL