A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu meia tonelada de cocaína num veleiro, nos Açores, e deteve dois homens de nacionalidade estrangeira, no âmbito da operação “Tiphon”, de combate ao tráfico de estupefacientes por via marítima.

Em comunicado, a PJ adianta que a operação desenvolveu-se durante dois dias na região Autónoma dos Açores e foi executada pelo departamento de investigação criminal de Ponta Delgada e Unidade de Combate ao Tráfico de Estupefacientes.

Durante a operação foi detetada “uma embarcação de recreio do tipo veleiro, suspeita de estar a ser utilizada no transporte de cocaína, entre a América do Sul e a Europa”.

“A embarcação em causa, com bandeira de país estrangeiro, entrou na baía da Praia da Vitória, ilha Terceira, onde veio a ser intercetada e alvo de busca, em cumprimento de mandado judicial”, refere a PJ.

No decurso da operação, as autoridades detetaram duas áreas distintas, especialmente reconfigurados na estrutura da embarcação, para o transporte de estupefacientes.

No interior de compartimentos, as autoridades detetaram uma quantidade de placas de cocaína, com o peso bruto aproximado de 500 quilos que foi apreendida bem como uma pistola “e outros elementos de prova”.

Os dois detidos, de 41 e 53 anos, foram presentes às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório tendo-lhes sido aplica a prisão preventiva.

Segunda maior apreensão nos Açores

A meia tonelada de cocaína apreendida num veleiro, nos Açores, pode atingir no mercado um valor superior a 50 milhões de euros, sendo a segunda maior apreensão de droga no arquipélago açoriano este ano, adiantou fonte da PJ.

O coordenador da Policia Judiciária (PJ) nos Açores, João Oliveira, explicou à agência Lusa que a cocaína apreendida numa embarcação de recreio do tipo veleiro tinha "um elevado grau de pureza", acrescentando que aquela droga no estado em que está "é equivalente a cinco milhões de doses" e "o seu valor no mercado pode atingir mais de 50 milhões de euros".

Segundo o responsável da PJ no arquipélago, trata-se da "segunda maior apreensão de droga nos Açores este ano".

O coordenador da PJ nos Açores adiantou à Lusa que um dos detidos "é holandês e o outro estónio", havendo suspeitas de que integram "uma rede organizada internacional de tráfico de droga".

João Oliveira referiu ainda que a embarcação "fez uma escala na Terceira para descanso da tripulação e reabastecimento".

"As evidências apontam para que os Açores continuem na rota internacional do tráfico de droga, tendo em conta a posição geográfica do arquipélago", disse ainda à Lusa o coordenador da PJ nos Açores.

A investigação contou com apoio de elementos da Polícia Marítima na Praia da Vitória, ilha Terceira, e do Maritime Analysis and Operations Centre – Norcotics (MAOC-N), com sede em Lisboa, e das autoridades holandesas e espanholas