A Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica da Polícia Judiciária realizou, nesta terça-feira, uma megaoperação de combate à fraude com dados bancários, que terá feito dezenas de vítimas em Portugal nos últimos anos. A TVI sabe que foram feitas 11 detenções, em 35 buscas de norte a sul do país. 

Os detidos são nove mulheres e dois homens, "presumíveis autores de dezenas de crimes de burla informática agravada, falsidade informática, acesso ilegítimo e branqueamento", segundo a PJ. Os danos são superiores a meio milhão de euros.

Os autores dos crimes levaram a cabo múltiplas ações criminosas, que deram origem a 77 inquéritos agora incorporados, com impacto em cerca de 100 de vítimas. (...) O valor do dano atingiu, até ao momento, um valor superior a 500.000€, prevendo-se que este valor possa aumentar com a continuação da investigação", aponta a Polícia Judiciária.

A operação, no âmbito de um inquérito que corre termos no Departamento Central de Investigação e Ação Penal, empenhou 130 inspetores da PJ, que avançaram às primeiras horas da manhã para as zonas da Maia, de Matosinhos, da Grande Lisboa e também do Algarve (Albufeira), entre outros locais onde vivem os suspeitos dos crimes. 

O esquema passava pela utilização de dispositivos colocados nas caixas Multibanco ou nos terminais de pagamento, com as informações dos cartão a serem copiadas.

Só no início do ano passado, uma vaga de clonagem de cartões terá afetado cerca de 20 mil pessoas em Portugal.

Os detidos vão, agora, ser presentes a primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coação.

As investigações prosseguem.