Quase 200 inspetores da Polícia Judiciária de Lisboa realizaram esta terça-feira uma megaoperação de combate à criminalidade mais violenta, para deter 20 suspeitos por dezenas de assaltos à mão armada. Os detidos têm entre 17 e 22 anos.

Segundo o comunicado da PJ, há "fortes indícios da prática de crimes de roubo, sequestro, furto qualificado, burla informática e detenção de arma proibida".

Em causa, sabe a TVI, roubos em casas, com os proprietários no interior, em estabelecimentos comerciais e também na via pública.

"Os detidos faziam parte dum grupo criminoso, agora desmantelado, que se autointitulava de gangue “AKJ” e que atuava essencialmente nos concelhos de Cascais e de Sintra, onde a maioria dos mesmos residia", acrescenta a PJ.

Os suspeitos "divulgavam vídeos" dos assaltos nas redes sociais, "vangloriando-se dos crimes que cometiam e ameaçando as vítimas, caso os denunciassem". "De igual modo, desafiavam, também, os grupos rivais para encontros destinados a lutar pelo controlo de “territórios”".

Esta manhã, foram feitas 23 buscas domiciliárias, nas residências utilizadas pelos suspeitos, familiares e amigos, "onde se procedeu à recuperação de alguns bens e valores provenientes dos furtos e roubos, bem como à apreensão de armas e outros instrumentos utilizados para coagir ou agredir as vítimas".

Os detidos, todos sem ocupação profissional, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Henrique Machado / - notícia atualizada às 11:47