A Polícia Judiciária apreendeu 11 milhões e 700 mil euros em notas escondidas no banco de uma carrinha estacionada em Lisboa - naquela que é a maior apreensão de sempre em Portugal de dinheiro proveniente de tráfico de droga. Foram ainda arrestados dois edifícios em Lisboa e congeladas contas bancárias com milhões de euros em depósitos, por branqueamento de capitais de uma rede internacional, liderada a partir do Brasil por um ex-major da Polícia Federal brasileira.

O antigo polícia Sérgio Carvalho, de 62 anos, conhecido como major Carvalho, foi o principal alvo da operação Enterprise, que passou por 10 estados brasileiros, por Espanha, Portugal, Colômbia e Emirados Árabes Unidos. É considerada a maior operação de sempre de combate à lavagem de dinheiro proveniente do tráfico. Foram detidas mais de 60 pessoas, cumpridos mais de 150 mandados de busca e recuperados mais de um bilião de reais em bens e valores apreendidos e arrestados nos diferentes países. Foram apreendidos aviões particulares, entre eles um jato avaliado em 20 milhões de dólares.

Em Portugal não foram feitas detenções, mas o nosso país está no epicentro da ocultação dos proveitos do tráfico. Esta rede é suspeita de ter enviado mais de 50 toneladas de cocaína para a Europa nos últimos três anos.

Ao todo, foram apreendidos a esta rede mais de 60 milhões de euros em bens, incluindo 37 aviões, mansões e carros de luxo dos suspeitos de liderarem a organização internacional.

Henrique Machado