A Polícia Judiciária apreendeu cartas régias escritas entre os séculos XVII e XIX, enviadas em nome do “Rei” do “Príncipe” do “Infante” e da “duquesa de Mântua” e endereçadas a figuras ilustres da cidade de Beja.

A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Sul, no âmbito de uma investigação em curso, procedeu à apreensão de um códice factício, constituído por 165 documentos, em bifólio de papel, manuscritos, entre os anos de 1623 e 1806", lê-se no comunicado enviado às redações. 

Esta documentação encontrava-se na posse de particulares e foi apreendida pelo facto de a Câmara Municipal de Beja ter levantado dúvidas "relativamente ao seu eventual descaminho do espólio do Estado"

A Polícia Judiciária referiu ainda a grande relevância desta documentação e o valor inestimável em termos históricos. 

O códice factício vai agora ser alvo de perícia, no Laboratório de Polícia Científica, para se conseguir apurar a sua autenticidade.