A Polícia Judiciária desmantelou parte de um esquema internacional de burlas e branqueamento de capitais, que passa pela captação de investimentos, nomeadamente em bitcoins, com desvio de milhões de euros dos investidores.

Parte desse desvio, no valor de cerca de sete milhões de euros, passou por contas bancárias em Portugal, tendo o dinheiro seguido depois para contas na Turquia e Hong Kong, sabe a TVI.

As empresas “eram usadas para titular contas bancárias em instituições financeiras em Portugal, que serviam como veículo, apenas para parquear dinheiro, produto dos ilícitos perpetrados pelo referido grupo organizado, que de imediato era transferido para outros países, com a finalidade de ocultar a sua proveniência e destino e tentando conferir-lhe, desta forma, uma aparência de legalidade”, informou a Polícia Judiciária através de um comunicado.

Nesse esquema, com recurso a testas de ferro que titulavam as contas no nosso país, a PJ deteve quatro pessoas, entre os 30 e os 60 anos.

Em causa, a operação Cifras Negras da unidade de combate à corrupção, que fez nove buscas conseguiu ainda apreender cerca de um milhão de euros, provenientes do esquema, escondido na posse de empresas de fachada criadas para o efeito.

As pessoas apanhadas em Portugal são intermediários do esquema. Respondem por associação criminosa, branqueamento e burlas qualificadas de carácter internacional.

Os detidos serão presentes ao tribunal em Lisboa.

Henrique Machado