A Polícia Judiciária (PJ) deteve 12 homens suspeitos de tráfico e mediação de armas, numa operação que implicou 28 buscas em habitações, lojas e banco na região Norte, anunciou esta quarta-feira esta força policial.

Em comunicado, a PJ adiantou que os detidos, também suspeitos de posse de arma proibida, têm entre 30 e 75 anos, sendo que um deles tem já antecedentes criminais por crimes semelhantes, como por crimes contra a propriedade e integridade física.

Esta operação, que decorreu na terça-feira, implicou 28 buscas, das quais 25 domiciliárias, duas em estabelecimentos e uma numa instituição bancária, nas zonas de Braga, Amares, Póvoa do Lanhoso, Felgueiras, Fafe, Santo Tirso, Póvoa de Varzim e Vila do Conde, nos distritos do Porto e Braga, adiantou a PJ.

Um dos 12 detidos é um serralheiro, acusado de adaptar as armas de menor calibre, anunciou a Polícia Judiciária.

“Contavam com a colaboração de um dos indivíduos que foi detido que era serralheiro e conseguia arranjar e manipular armas que, previamente, não eram armas para deflagrar munições. Ele adaptava os canos e depois comercializavam as armas já aptas a disparar", explicou o Coordenador de Investigação Criminal da PJ, Manuel Santos, em conferência de imprensa.

No decorrer das buscas foram apreendidas dezenas de armas proibidas de diversos calibres e géneros, desde pistolas, revólveres, carabinas, caçadeiras, facas e soqueiras, milhares de munições, detonadores pirotécnicos e dinheiro.

Pelo menos desde fevereiro de 2020 e, essencialmente na zona Norte, os ora detidos promoveram e mediaram transações e cedências de armas de fogo e munições como forma de obter ganhos económicos”, sublinhou a PJ.

Nestas diligências estiveram envolvidos cerca de 100 elementos da PJ, através da Diretoria do Norte e do Departamento de Investigação Criminal de Vila Real.

/ CE