A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 22 anos suspeito de diversos crimes de burla informática, falsidade informática, acesso ilegítimo e branqueamento de capitais. O detido foi presente a tribunal e ficou em prisão preventiva.

Em comunicado, a PJ explica que a investigação se iniciou há alguns meses, “tendo por base vários casos de fraude perpetrados de forma reiterada, com recurso à aplicação MBWay” e que, na sequência da detenção e busca domiciliária, foram apreendidos vários objetos relacionados com a prática criminosa e/ou adquiridos de forma ilícita, num montante que ronda as dezenas de milhares de euros.

“As várias diligências encetadas culminaram na identificação do suspeito, autor das múltiplas ações criminosas, tendo, posteriormente, sido apurado ser o mesmo ainda autor de fraudes, associadas a compras em plataformas online, com recurso a dados de cartões de crédito”, refere a PJ.

A estratégia da investigação visou localizar e agrupar várias participações que se encontravam dispersas por diversas comarcas do país.

A investigação foi desenvolvida pela Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T) e o inquérito é titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa.

Lara Ferin