A Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ tem a correr, na manhã desta quarta-feira, uma operação de larga escala que visa suspeitas de corrupção autárquica no município de Loures, sabe a TVI, nomeadamente com dezenas de buscas e a detenção de funcionários responsáveis pela vistoria e licenciamento de obras de construção civil no concelho, alegadamente em troca de contrapartidas financeiras.

A fonte da Polícia Judiciária (PJ) adiantou que entre os detidos estão dois empreiteiros, um arquiteto e um empresário ligado a uma obra particular, além dos oito fiscais.

Os detidos têm entre 44 e 64 anos e nas buscas participaram 84 efetivos da polícia.

“As buscas decorreram nas instalações da Polícia Municipal de Loures, que estão inseridas na Câmara Municipal. Os oito detidos pertencem à divisão operacional – área de fiscalização [da Polícia Municipal]”, explicou.

A mesma fonte disse que os oito fiscais daquele departamento são “fortemente suspeitos de aceitarem contrapartidas monetárias para o não exercício das funções profissionais que lhes estavam atribuídas”.

Em causa, suspeitas de subornos nomeadamente a fiscais da autarquia liderada por Bernardino Soares, do PCP, e a outros responsáveis camarários para que processos de licenciamento e construção não sejam atrapalhados por entraves no âmbito de vistorias, entre outros procedimentos de acompanhamento e  fiscalização. A operação de hoje, sabe a TVI, passa por detenções e buscas não só a funcionários da autarquia mas também a empresários da construção civil, estes últimos suspeitos de corrupção ativa.

A investigação tem largos meses, conta com o recurso a vários meios de prova, nomeadamente escutas telefónicas, e deu origem à operação de hoje que tem empenhados inspetores de vários setores da Polícia Judiciária

Os 12 detidos serão presentes na quinta-feira a tribunal.

Henrique Machado / Notícia atualizada às 11:15