Uma réplica da escultura ‘roda da vida”, do túmulo de D. Pedro, no Mosteiro de Alcobaça, desaparecida desde 2005, foi recuperada pela Polícia Judiciária (PJ) e o seu detentor constituído arguido pelo crime de peculato, divulgou hoje a PJ.

A peça, uma réplica em gesso da ‘roda da vida’ que se encontra na cabeceira do túmulo de D. Pedro I, no Mosteiro de Alcobaça, “foi subtraída entre 2004 e 2005”, disse à agência Lusa Gil Carvalho, coordenador da Polícia Judiciária de Leiria, explicando que a obra “não terá sido furtada mas sim, desencaminhada”.

A réplica em gesso, com cerca um metro de diâmetro, é da autoria do escultor António Augusto da Costa Mota e terá sido mandada fazer por Vieira Natividade para a estudar.

A peça fazia parte da coleção de Vieira Natividade, cujo espólio foi doado no início da década de 90, do século passado, ao extinto Instituto Português do Património Cultural.

“A obra estava guardada na casa Museu e, em 2005, quando foi constatado o seu desaparecimento, foi iniciada uma investigação”, tutelada pelo DIAP – Departamento de Investigação e Ação Penal das Caldas da Rainha, “que contou com a colaboração da atual direção do Mosteiro e em que foram ouvidas diversas testemunhas”, explicou Gil de Carvalho.

O Mosteiro é atualmente dirigido por Ana Pagará, mas, à data do desaparecimento da peça, tinha como diretor o historiador Rui Rasquilho.

A investigação culminou agora com “a identificação de pessoas com a peça em sua posse”, a qual foi “constituída arguida pelo crime de peculato”, disse o coordenador da PJ de Leiria.

A Lusa contactou a direção do Mosteiro de Alcobaça, que confirmou que a peça já se encontra no monumento, a cujo espólio pertence, mas remeteu mais explicações para um comunicado que a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) irá emitir.

/ AM