Dois homens foram detidos pela PJ por suspeita de 45 crimes de burla informática qualificada e associação criminosa feitos através do uso de dados de cartões de crédito internacionais.

Os suspeitos compravam, através da internet, vários produtos com dados de cartões de crédito internacionais obtidos de forma fraudulenta, e depois vendiam esses artigos a preço muito inferior ao do mercado, referiu a PJ.

Em comunicado, a Polícia Judiciária adianta que os danos causados ascendem a um valor superior a 45 mil euros.

Segundo a PJ, os dois homens detidos, de origem paquistanesa e com 30 e 34 anos, são presumíveis autores de pelo menos 45 crimes de burla informática qualificada e associação criminosa, factos que terão tido início em meados de 2017.

A investigação da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T) da PJ contou com “uma intensa colaboração” das instituições de serviços bancários Unicre e SIBS, assim como de empresas de comércio online, onde foram comprados produtos como telemóveis, televisores ou perfumes com recurso aos dados fraudulentos de cartões de crédito, refere a PJ.

A polícia indica ainda que os artigos eram depois vendidos a preço muito inferior ao de mercado.

Os detidos foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva a um dos arguidos e de apresentações periódicas ao outro.