A Polícia Marítima auxiliou este sábado um veleiro, com três tripulantes a bordo, que se encontrava em dificuldades a cerca de 30 milhas náuticas de Sines, no distrito de Setúbal, após um grupo de orcas ter danificado o leme.

De bandeira francesa, o veleiro foi rebocado pela Polícia Marítima de Sines, após o Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa) ter recebido o pedido de ajuda cerca das 04:30 da madrugada de hoje.

Chegados ao local, os elementos da Polícia Marítima confirmaram que o leme estava partido, estando o veleiro sem capacidade de governo, tendo procedido ao reboque da embarcação para o porto de Sines por questões de segurança”, informou esta força policial.

Em resultado da operação de socorro, desenvolvida pelo comando-local da Polícia Marítima de Sines, o veleiro atracou em segurança no porto de Sines pelas 14:15 de hoje, “não tendo sido necessário prestar assistência aos tripulantes”.

Em comunicado, a Polícia Marítima disse que o veleiro de bandeira francesa, com três tripulantes a bordo, se encontrava “em dificuldades a cerca de 30 milhas náuticas (aproximadamente 55 quilómetros) de Sines, após uma interação de um grupo de orcas com a embarcação ter danificado o leme, deixando a embarcação sem governo”.

Neste âmbito, a Autoridade Marítima Nacional, que integra a Polícia Marítima, reforçou a recomendação a todos os navegantes para que, “em caso de avistamento destes mamíferos, seja desligado o motor, por forma a inibir a rotação da hélice, e se imobilize a porta do leme, desmotivando assim estes mamíferos a interagir com as estruturas móveis das embarcações”.

/ CE