Um agente principal da PSP foi acusado pelo Ministério Público de colaborar com um homem “dinamizador de um grupo de delinquentes” que furtava veículos para os usar em assaltos a estabelecimentos comerciais do distrito de Santarém.

Em comunicado, a Procuradoria da Comarca de Santarém afirma que o agente da Polícia de Segurança Pública (PSP) foi acusado pela prática de um crime de favorecimento pessoal praticado por funcionário, um crime de denegação de justiça e prevaricação, e dois crimes de falsificação de documento, ocorridos durante o ano 2016 e até meados de 2017.

Segundo o Ministério Público, o agente tinha uma relação “de amizade ou de interesse mútuo” com o homem que promovia o furto dos veículos, que o grupo utilizava para furtar máquinas de tabaco e dinheiro em estabelecimentos comerciais da região.

“O arguido, além de informar o seu comparsa dos passos das investigações policiais, assim permitindo que se eximisse à ação da justiça, elaborou falsos preenchimentos das folhas de apresentações periódicas em posto policial e obtinha, em troca, informações relativas a atividades de outros delinquentes, alguns dos quais veio a deter, ou sobre o paradeiro dos veículos para que a respetiva recuperação traduzisse mérito do arguido”, afirma o comunicado.

Decorre o prazo para eventual abertura de instrução, que, a não ser requerida, determinará a remessa do processo para julgamento com tribunal coletivo, em Santarém, acrescenta.