Clientes de um restaurante ilegal, fiscalizado pela PSP no último sábado, fugiram por um túnel de escoamento de águas pluviais, que desagua num afluente do Rio Trancão. A Polícia de Segurança Pública teve de chamar os bombeiros para retirar os homens, que acabaram molhados e autuados.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão Policial de Loures, no dia 23 de janeiro, pelas 14:30, em Camarate, procedeu à fiscalização de um estabelecimento pertencente a um grupo recreativo que se encontrava a funcionar como estabelecimento de restauração e similar”, explica a PSP em comunicado.

O estabelecimento encontrava-se de portas fechadas, mas era audível várias pessoas a falar no interior. “Apesar das várias tentativas de contacto com o proprietário do estabelecimento, bem como dos demais clientes que se encontravam no interior, não foi possível chegar à fala com os mesmos”, adianta a Polícia.

Perante os contactos das autoridades, “os clientes começaram a fugir pelas traseiras do estabelecimento, em direção um túnel de escoamento de água, de extensão considerável, não sendo possível visualizar a sua extensão para além dos 10 metros, tanto pela inexistência de luz, como por curvas que o referido túnel tem”. O túnel tem cerca de 50 metros de extensão e desagua numa ribeira, que, por sua vez, desagua no rio Trancão.

Tendo em conta que não era possível apurar a localização dos infratores, foi de mediato efetuada uma tentativa de contacto com estes através da fala e por não haver qualquer resposta por parte dos infratores e por uma forte corrente de água pluvial se encontrar a entrar no túnel, foram acionados para o local os Bombeiros Voluntários de Camarate, a fim de procederem ao resgate”, acrescenta a PSP.

Dois polícias entraram no túnel, enquanto se mantinha no exterior do restaurante o dispositivo policial. Os infratores acabaram por sair do túnel “bastante molhados”, “sem oferecer qualquer reação e recusando auxílio médico por parte dos bombeiros”.

Após serem resgatados, à saída do interior do túnel, os infratores foram identificados e autuados no âmbito das medidas Covid-19 em vigor, bem como o estabelecimento em causa.

Daniela Rodrigues