O Município de Pombal anunciou hoje uma auditoria de segurança ao Itinerário Complementar n.º 8 (IC8), por parte do Governo, na sequência do convite do presidente da Câmara para que diversos responsáveis visitassem a via, após novo acidente mortal.

"Na sequência do convite que o presidente da Câmara Municipal de Pombal endereçou ontem [segunda-feira] ao secretário de Estado das Infraestruturas, para que este visitasse o IC8, foi comunicado ao Município, por parte do secretário de Estado, a abertura de uma auditoria de segurança àquela via nacional, em especial no troço compreendido entre os quilómetros 33,7 e 35,8, entre o nó de acesso à A1 e a saída para São João da Ribeira", revela uma nota de imprensa enviada à agência Lusa.

O convite ao secretário de Estado surgiu na segunda-feira após a ocorrência de mais uma colisão frontal naquele troço do IC8, que causou a morte a duas pessoas.

No espaço de um mês, no mesmo troço, no concelho de Pombal, distrito de Leiria, perderam a vida oito pessoas, "sendo o terceiro acidente com colisão frontal naquele espaço de tempo", informou a autarquia liderada por Diogo Mateus (PSD).

No final de setembro, o Município enviou um ofício à Infraestruturas de Portugal, empresa pública que é responsável pelo IC8. "Na missiva, Diogo Mateus solicitava uma correção urgente no traçado longitudinal da reta onde ocorreram os sinistros, passando a sinalética horizontal a exibir um duplo traço contínuo, reforçado com sinalética vertical".

Até ao momento, “das Infraestruturas de Portugal não chegou qualquer resposta ao Município", diz a nota.

"A seguir ao acidente, convidei o secretário de Estado das Infraestruturas e os presidentes da Infraestruturas de Portugal e da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária para visitarem o local onde nas últimas semanas morreram oito pessoas", afirmou à Lusa, na segunda-feira, Diogo Mateus.

Segundo o autarca, no último ano morreram 11 pessoas no concelho de Pombal vítimas de acidentes de viação.

O presidente da Câmara admitiu que uma solução a médio/longo prazo poderá passar pela colocação de separadores centrais, à semelhança do que foi executado no IC2, no concelho de Leiria, para pôr fim aos choques frontais.

"Poderá passar pela colocação de separadores, mas a solução mais rápida será fazer uma pintura horizontal de um duplo traço contínuo, complementada com sinalização vertical. Depois, essa recomendação terá de ser analisada pelo gestor da obra", referiu Diogo Mateus.

Um choque frontal provocou na segunda-feira a morte a duas pessoas no IC8, em S. João da Ribeira, na freguesia de Almagreira, no concelho de Pombal.

O acidente ocorreu no mesmo local, onde morreram seis pessoas, após uma colisão frontal, a 24 de setembro.