Em Guimarães, os adeptos do Vitória falaram à TVI sobre os insultos racistas a Marega, jogador do Futebol Clube do Porto que no domingo abandonou a partida entre os dois clubes.

Um dos adeptos disse à TVI  que se está a “criar um problema geral” e apontou o dedo à atitude do jogador, que festejou o golo de forma “excessiva”.

O Marega, quando marcou o golo, em vez de ir festejar o golo com os adeptos do Porto foi festejar o golo os adeptos do Vitória”, contou. “Eu vi isso. Ele festejou o golo à minha frente e eu fiquei incomodado.”

Questionado sobre se o festejo justificava a reação dos adeptos, respondeu com outras atitudes que têm marcado o futebol português.

Não concordo com isso, mas também não concordo com bonecos pendurados em pontes a ameaçar que enforcam os árbitros e os jogadores adversários. Também não concordo com adeptos a atirar bolas de ténis para dentro do campo.”, disse.

A Polícia de Segurança Pública já está a analisar as imagens de videovigilância para tentar identificar os adeptos que insultaram o jogador do FC Porto, Moussa Marega, no jogo frente ao Vitória de Guimarães no domingo.

Nós em Guimarães gostamos de ser respeitados”, reforçou o adepto entrevistado pela TVI. “O senhor Marega não nos respeitou. Ainda por cima um individuo que esteve cá e foi sempre muito bem tratado”, explicou.

Esse mesmo adepto, que afirmou ter sido “provocado na sua própria casa” com o gesto do atleta do Futebol Clube do Porto, referiu que “algumas reações dos adeptos do Vitória foram bem-feitas”, mas admitiu que o “racismo no futebol é um problema”.

Os adeptos vimaranenses apontam ainda a culpa aos programas desportivos, onde “ninguém se entente e todos se tratam mal”.  

Outro adepto vimaranense classificou os insultos a Marega como algo que não devia “acontecer aqui nem em lado nenhum”. Apesar de tudo, desejou que o seu clube não seja tão severamente castigado quanto se espera.

O V. Guimarães incorre num castigo de um a três jogos à porta fechada, devido aos insultos racistas que alguns adeptos fizeram a Marega, e que levaram ao abandono de campo por parte do maliano.

A situação merece reprovação, mas também é preciso ver as causas que fazem com que as coisas aconteçam”, reparou outro adepto presente. “Nada justifica o racismo”, concluiu.

O Presidente da República e Primeiro-Ministro já reagiram ao incidente. Marcelo Rebelo de Sousa, condenou esta segunda-feira os insultos racistas dirigidos a Moussa Marega na deslocação do FC Porto ao terreno do Vitória de Guimarães.

A Constituição da República Portuguesa é muito clara na condenação do racismo, assim como de outras formas de xenofobia e discriminação, e o povo português sabe, até por experiência histórica, que o caminho do racismo, da xenofobia, e da discriminação, além de representar a violação da dignidade da pessoa humana e dos seus direitos fundamentais, é um caminho dramático em termos de cultura, civilização e de paz social”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O primeiro-ministro manifestou esta segunda-feira "total solidariedade" com o "grande cidadão" e jogador do FC Porto Marega, que no domingo foi vítima de insultos racistas, e salientou que todos os atos de racismo são crime e intoleráveis.

/ JGR