A PSP destacou esta terça-feira “o sucesso da operação policial” da final da Liga dos Campeões de futebol, no Porto, "na perspetiva da manutenção da segurança e ordem públicas", avançando que a generalidade das desordens ocorreu entre adeptos ingleses.

A PSP salienta o sucesso da operação policial na perspetiva da manutenção da segurança e ordem públicas, o que apenas foi possível devido ao profissionalismo e elevado desempenho de todos os polícias que integraram o policiamento, independentemente das suas categorias hierárquicas e funções desempenhadas”, refere a direção Nacional da Polícia d Segurança Pública, em comunicado.

A PSP sublinha que “a generalidade das desordens verificadas ocorreu entre adeptos, sem atos violentos diretamente dirigidos aos polícias ou a terceiros, sendo rapidamente resolvidos sem necessidade de recorrer a meios policiais mais ‘pesados’”.

Segundo a PSP, da operação policial à final da Liga dos Campeões de futebol, que decorreu no sábado no Porto, resultaram em quatro detenções, duas das quais por agressão a polícias e outras duas pelo crime de contrafação.

Esta força de segurança frisa também que “a larga experiência que a PSP tem na segurança de grandes eventos, nomeadamente desportivos, envolvendo adeptos ingleses, associada à avaliação de risco efetuada, ditou que fosse adotado um dispositivo de alta visibilidade mas de baixa ostensividade, que levou a que a subunidade operacional Corpo de Intervenção, da Unidade Especial de Polícia, estivesse sempre presente, mas discretamente posicionada”.

A PSP refere ainda que implementou no policiamento feito do Porto junto dos adeptos ingleses “uma doutrina relativa ao uso da força pública e ao emprego gradativo dos níveis de intervenção de que dispõe, em que basicamente os níveis de força empregues são correspondentes aos graus de ameaça verificados”.

Milhares de adeptos ingleses rumaram entre quinta-feira e sábado ao Porto para assistir à final da mais importante competição de clubes de futebol, no Estádio do Dragão, numa afluência que causou uma forte presença em locais como a Ribeira, onde se registaram desacatos.

. / CE