"A nossa missão é transformar tudo o que envolve a cultura pop com uma identidade própria no nosso país. Estamos sempre a tentar criar novas abordagens para a Banda Desenhada, para os videojogos, para a literatura, para a televisão, (…) mas o objetivo máximo é que todas estas indústrias sejam reconhecidas e cada vez mais exploradas pelo universo português", afirmou à Lusa Paulo Cardoso.







"Este ano não podíamos faltar. [O que nos atrai] não é só a cultura japonesa, como os comics, jogos e animação", afirmou Cláudio Santos, vestido de Basara Tojo, da série Shinmai Mao.