O autoagendamento para a vacinação contra a covid-19 está desde a meia-noite de esta quinta-feira reservado aos jovens entre os 12 e os 17 anos, prolongando-se até sábado em exclusivo para esta faixa etária.

A medida foi anunciada na segunda-feira pela ‘task force’ responsável pelo plano de vacinação, que explicou que a vacinação destes utentes com a primeira dose de uma das duas vacinas aprovadas para este grupo etário – Pfizer/BioNTech e Moderna - vai ser efetuada no fim de semana de 28 e 29 de agosto.

Já neste próximo fim de semana (21 e 22) serão vacinados os primeiros jovens entre 12 e 15 anos que efetuaram o agendamento entre os dias 12 e 14 deste mês.

O autoagendamento - que é feito através do portal www.covid19.min-saude.pt - dos utentes com 18 ou mais anos fica, assim, suspenso por três dias, sendo retomado a partir de domingo.

De acordo com o calendário já divulgado pela ‘task-force’, as segundas doses de vacina para os menores entre 12 e 15 anos serão administradas nos fins de semana de 11/12 e 18/19 de setembro, para que esta faixa etária possa concluir o processo de vacinação antes do início do ano letivo.

A recomendação da Direção-Geral da Saúde (DGS) para a vacinação universal das crianças e jovens entre os 12 e os 15 anos foi conhecida no passado dia 10 de agosto, deixando assim de ficar circunscrita a situações específicas, como os casos em que existam doenças de risco para a covid-19.

Portugal já tem 66% da população com vacinação completa contra a covid-19 e 76% com pelo menos uma dose administrada, com os maiores de 65 anos quase totalmente vacinados.

De acordo com o relatório mais recente de vacinação, divulgado pela DGS na terça-feira e com dados contabilizados até ao último domingo, o país contabiliza já 7.791.486 pessoas com pelo menos uma dose de vacina e 6.760.777 que concluíram o respetivo esquema vacinal.

A campanha de vacinação contra a covid-19 iniciou-se em Portugal em 27 de dezembro de 2020, sendo administradas atualmente as vacinas de dose única (Janssen) e de dose dupla (Pfizer/BioNTech, Moderna e AstraZeneca).

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.601 pessoas e foram registados 1.009.571 casos de infeção, segundo a DGS.

/ JGR - Notícia atualizada às 09:10