A Unidade de Saúde Pública (USP) de Matosinhos foi reforçada com 13 profissionais, nomeadamente estudantes de enfermagem e medicina e técnicos de saúde ambiental para responder a uma solicitação “sem precedentes” causada pela covid-19, revelou hoje aquela entidade.

A uma pequena equipa constituída por seis médicos e quatro enfermeiros de Saúde Pública, três técnicos de Saúde Ambiental e quatro assistentes técnicos, que foi sendo reforçada com o apoio de nove médicos internos do ano comum, juntam-se agora cinco alunos finalistas do curso de Medicina e seis alunos de Enfermagem, tendo sido possível a contratação de dois técnicos de Saúde Ambiental”, sublinhou a USP em comunicado.

Este reforço permite recuperar a atividade em atraso e uma resposta mais atempada numa altura em que é importante ganhar tempo, disse o coordenador da USP, Jaime Baptista, citado na nota.

Por dia, neste concelho são identificados cerca de 170 novos casos que originam, em média, mais de 500 contactos de alto risco de exposição, adiantou.

Embora a crise pandémica tenha trazido uma maior visibilidade ao trabalho desenvolvido pela Saúde Pública, a verdade é que a atividade das equipas vai muito além da resposta concelhia à covid-19, nomeadamente sanidade e fronteiras, consulta do viajante, juntas médicas e incapacidades e saúde ambiente são algumas das grandes áreas de trabalho desta unidade que funciona também como Observatório Local de Saúde”, vincou.

/ DA