O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, disse esta segunda-feira que a evolução do surto de Covid-19 tem obrigado a um reforço de medidas, nomeadamente no Serviço Nacional de Saúda (SNS).

Estamos a reforçar o número de profissionais de saúde, respondendo a todas as necessidades das instituições do Ministério da Saúde que têm agora autonomia para contratação sem quaisquer formalidades".

Lacerda Sales disse que existem, neste momento, mais de 1.800 médicos e 1.000 enfermeiros disponíveis para reforçar o SNS e combater esta pandemia. Reforçou que a Linha SNS24 continua a ser o canal principal de contacto dos portugueses e que na segunda-feira bateu um recorde: 13 mil chamadas atendidas.

Questionado sobre o número certo de médicos infetados com Covid-19, o Secretário de Estado da Saúde explicou que dos 331 casos anunciados na segunda-feira, 30 correspondem a profissionais de saúde, e destes, 18 são médicos.

Na segunda-feira, com 331 casos confirmados, existiam cerca de 30 profissionais de saúde infetados, sendo 18 médicos”.

Uma explicação que surge no dia em que a Ordem dos Médicos denunciou que 20% do total de casos de infeção pelo novo coronavírus são médicos.

Médicos e outros profissionais estão sempre na linha da frente deste combate e, portanto, é sempre também possível que sejam infetados não só nas respetivas instituições também o possam ser noutros locais na comunidade”acrescentou.

O último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), revelado há pouco, dava conta de 448 infetados, ou seja, um aumento de 117 novos casos nas últimas 24  horas. Não tendo sido contabilizado o primeiro caso registado na Madeira. De acordo com Graça Freitas essa contabilização não foi feita porque esse caso não está "completamente confirmado" nem "inserido no sistema".

Relativamente ao bebé que nasceu de uma mãe infetada no Hospital de São João, no Porto, a diretora-geral da Saúde disse que se tratava da "prova que os serviços estão organizados de forma a dar as melhores respostas"

Este caso prova que os serviços estão organizados de forma a dar as melhores respostas, uma vez que aqui está envolvido não só a mãe, como o pai e agora uma criança”.

 

Nós esperamos, como a maior parte dos artigos indicam, que esta criança não nasça infetada", referiu.

Quanto à escassez de material de proteção individual, Lacerda Sales disse que o Governo está a tentar "gerir os meios da melhor forma possível" e todos os dias são adquiridos novos materias.

Durante esta semana vão ser distribuídos mais de dois milhões de máscaras e à volta de 150 mil equipamentos de proteção individual", esclareceu.

António Lacerda Sales e Graça Freitas estiveram, esta terça-feira, numa conferência de imprensa conjunta entre o Governo e a DGS, no Ministério da Saúde, a fazer uma atualização da informação relativa à infeção pelo novo coronavírus em Portugal.

Cláudia Évora / Atualizada às 15:41