A operação da GNR no Grande Prémio de Portugal em Fórmula 1 "decorreu com normalidade", registando-se embora "alguns constrangimentos" e a detenção de um homem por injúrias e captação ilícita de imagens, anunciou este domingo esta corporação.

Em comunicado, a GNR sublinha que foram "empenhados cerca de 600 militares de várias valências, numa ação coordenada para atuar de forma preventiva para todo o tipo de situações que pudessem pôr em causa a segurança do evento, acrescido da necessidade do cumprimento das normas estabelecidas no atual contexto pandémico" provocado pelo covid-19.

Segundo a GNR, a operação decorreu "com normalidade, apenas se registando alguns constrangimentos no acesso ao autódromo, constrangimentos esses ultrapassados em coordenação com as autoridades locais presentes no evento".

Por outro lado, há a registar "a detenção de um homem de 47 anos pelo crime de injúrias e captação ilícita de imagens, tendo o mesmo sido constituído arguido e os factos comunicados ao Tribunal Judicial de Portimão, não tendo, durante a realização do evento, sido aplicada nenhuma medida de expulsão, por desrespeito às orientações da autoridade de saúde".

A GNR lembra que, entre quinta-feira e domingo, implementou um "dispositivo especial de segurança", para garantir a segurança de todos os intervenientes, o cumprimento das normas sanitárias aplicáveis e a regular fluidez nos principais itinerários, durante o Grande Prémio de Fórmula 1, no Autódromo Internacional do Algarve.

A GNR revela ainda que, durante o evento, houve uma recolocação de pessoas, para assegurar o cumprimento das normas da Direção-Geral da Saúde (DGS), tendo sido necessário "um redireccionamento das mesmas, para algumas bancadas menos preenchidas", tendo esta alteração sido tomada em conjunto com a organização da prova, para garantir o necessário distanciamento social.

Salienta-se que o empenhamento foi mais intenso, como esperado, no controlo do tráfego rodoviário, em consequência da natural elevada afluência de pessoas ao recinto em simultâneo, destacando-se, contudo, que o evento decorreu em total segurança, nunca estando em causa a segurança de pessoas e bens", conclui a GNR, num balanço sobre a atividade desenvolvida durante o evento desportivo.

Entretanto, a vitória na prova coube ao britânico Lewis Hamilton (Mercedes), o que deixou o Grande Prémio de Portugal na história da Fórmula 1, pois foi o 92.º triunfo do britânico, novo recorde da modalidade.

Hamilton, que partiu da ‘pole position’, concluiu as 66 voltas ao traçado algarvio, onde se disputou a 12.ª prova da temporada, em 1:29.56,828 horas, deixando em segundo o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) a 25,592 segundos e, em terceiro, o holandês Max Verstappen (Red Bull), a 34,508 segundos.

/ AG