Portugal e Uruguai terminaram na semana passada o processo de selecção de quinze médicos uruguaios para integrarem o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), no âmbito de um projecto de cooperação entre os dois países, escreve a Lusa.

A selecção foi realizada na Casa de Portugal, em Montevideu, por um grupo de quatro catedráticos de Medicina portugueses liderados por Ana Aleixo.

Os quinze clínicos seleccionados devem chegar a Portugal ainda no decurso deste semestre onde frequentarão um curso organizado pelo INEM.

Depois, os médicos uruguaios iniciarão a sua actividade em Portugal, que se desenrolará por um período de um a três anos, e, no final, voltarão com o «know how» desta experiência ao seu país.

INEM: «não houve excesso de meios» em Esposende

«Falta de médico» impediu assistência

Em simultâneo, no âmbito de um outro programa de cooperação que decorre em paralelo, estão já identificados os primeiros oito médicos uruguaios que participarão, a partir do próximo mês, no estágio de três meses organizado pela Autoridade da Saúde para o Sangue e Transplantação (ASST).

Estes especialistas uruguaios vão receber em Portugal formação complementar. O objectivo final desta iniciativa é a criação de uma unidade de transplantes no serviço público em Montevideu.

O desenvolvimento dos programas INEM e ASST contou com a estreita colaboração da Embaixada de Portugal em Montevideu e das autoridades uruguaias.

«O objectivo é reforçar ainda mais as competências do sistema nacional de saúde no Uruguai e respectivamente nas valências da emergência e dos transplantes», explicou à Lusa a embaixadora Luísa Bastos de Almeida.
Redação