As últimas análises feitas à saliva e à mucosa de Adriano Maranhão, um dos portugueses que tinha sido infetado com coronavírus no navio de cruzeiro Diamond Princess, deram negativo, confirmou à TVI a mulher Emmanuelle Maranhão. 

Temos agora o certificado que comprova que ele está bem de saúde, que ele não tem o vírus, que já não está contagioso, e ainda bem! Agradecendo novamente a todos os intervenientes no seu papel, foi graças ao nosso esforço e a toda esta atenção que ele conseguiu ter esta ajuda hospitalar e finalmente ter esta alta hospitalar", disse Emmanuelle Maranhão com um sorriso no rosto em declarações à TVI.

Explicou ainda que os sintomas que o marido tinha inicialmente, como febre, dores de cabeça e cansaço acabaram por passar mal começou a receber cuidados médicos.

Ele nunca teve nenhum tipo de febre, só mesmo ao início, que ele chegou aos 37.8, mas ainda estava na cabine. Desde que ele chegou ao hospital, nunca teve nenhum nível que o pudesse incomodar, alguma dor de cabeça que depois rapidamente desapareceu, algum cansaço que depois também desapareceu, ou seja, tudo o que ele mencionou no princípio acabou por desaparacer e ele ficou bem", esclareceu.

De acordo com Emmanuelle, o marido já teve alta hospitalar.

O próximo passo é esperar pela documentação da embaixada portuguesa no Japão e do governo japonês em como Adriano tem autorização para voltar a viajar e regressar a território nacional. Emmanuelle Maranhão admitiu que tem esperança que o marido regresse a casa na próxima semana.

É um alívio esta luta chegar ao fim e ter um desfecho feliz. Temos que admitir que não tem sido o caso de muitos com coronavírus. Mas eu posso dizer que ainda bem que tudo correu bem e foi muito graças à ajuda hospitalar que tivemos"

Walter Chicharro, presidente da Câmara da Nazaré, disse em declarações à TVI disse que recebeu as boas notícias esta manhã por parte de Adriano Maranhão. 

As boas notícias recebi hoje de manhã por parte do Adriano, que me deu nota não só dos testes negativos, como me enviou uma fotografia do documento que diz que ele, entretanto, sairá do hospital".

 

O autarca confirmou ainda que encaminhou o documento para o secretário de Estado da Saúde, para que o Governo ficasse de imediato informado da alta hospitalar e pudesse dar andamento ao processo de repatriamento.

Imediantamente quando recebi o documento reencaminhei para o secretário de Estado da Saúde (...) o Governo já está informado da alta hospitalar e levantei a questão do envolvimento, mais uma vez, da embaixada no sentido de agilizar o repatriamento do Adriano", explicou. 

O canalizador português foi transferido na terça-feira para o hospital da cidade de Okazaki, Japão, depois de no sábado, as autoridades japonesas terem confirmado que o teste tinha dado positivo ao Covid-19.

Desde que foi conhecido que Adriano Maranhão estava infetado com o novo coronavírus, que a sua mulher apelou à embaixada portuguesa no Japão e ao Governo Português que para fosse prestada ajuda ao marido.

A epidemia, que teve origem na China, já infetou 86.6986 pessoas em 58 países, das quais morreram 2.979.

Na Europa, Itália é o país mais atingido pelo surto, com 29 mortos e 1128 infetados.

A Organização Mundial de Saúde aumentou para muito elevado o nível de ameaça causado pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

Além da China, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong, Taiwan, Tailândia e Austrália. 

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) registou 70 casos suspeitos de infeção, três dos quais ainda em estudo no sábado. Os restantes 67 casos suspeitos não se confirmaram, após testes negativos.

Rita Barão Mendes António Pereira Gonçalves Cláudia Évora / Notícia atualizada às 12:12