Com mais de dois milhões de seguidores no facebook e um património avaliado em quase mil milhões de dólares, a designer de moda norte-americana Tory Burch vendeu, durante algumas horas, no seu site, uma camisola que descrevia como "inspirada na baja mexicana", no entanto, trata-se de uma cópia da famosa e bem portuguesa camisola poveira, peça de artesanato da Póvoa de Varzim. 

O peça de roupa estava à venda pela módica quantia de 695 euros, cerca de dez vezes mais do que o valor pelo qual é vendida na Póvoa de Varzim, onde é tricotada à mão, e apesar de ter sido descrita como "inspirada na baja mexicana", apresenta os mesmos motivos marítimos da camisola original, assim como a coroa da monarquia portuguesa, bem no centro.

A polémica instalou-se e os portugueses fizeram-se ouvir nas redes sociais da criadora norte-americana. 

Comentários na página de Facebook da estilista

Deveria ter vergonha! vender algo que faz parte da cultura de um país e dizer que é de outro? Por esse valor?", pode ler-se. "Sem integridade! Sem respeito por uma herança cultural", continuam os internautas.

Neste momento, a camisola ainda se encontra à venda no site da estilista, mas, depois dos comentários, a descrição da peça foi alterada e já não faz referência à alegada origem mexicana, nem a qualquer outra origem.

A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim já tentou contactar os responsáveis pela marca, e ao que apurou o jornal Mais Semanário, não obteve resposta. 

A camisola poveira, originalmente usada pelos "homens do mar", tem mais de cem anos de história e encontra-se neste momento em fase de certificação. 

Diogo Assunção