A ida a banhos na Praia da Baía, em Espinho, voltou esta segunda-feira a ser autorizada, depois de as análises efetuadas às respetivas águas, na sequência de reações alérgicas em oito crianças, terem passado a evidenciar resultados normais.

O levantamento da interdição que vigorava desde a semana passada nessa porção de costa do distrito de Aveiro estava previsto apenas para a próxima quarta-feira, mas os testes laboratoriais esta segunda-feira divulgados pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) já evidenciaram parâmetros regulares.

A interdição na Praia da Baía foi levantada. As análises efetuadas pela APA estão normais”, revelou esta tarde à Lusa o coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil e comandante dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Espinho, Pedro Louro.

O desaconselhamento da ida a banhos na Praia da Baía foi implementado pela Proteção Civil, sob o controlo da Polícia Marítima, como medida preventiva na sequência de oito casos de prurido e urticária detetados na passada quarta-feira em oito crianças com idades dos sete aos 10 anos, imediatamente após a sua ida ao mar.

Fonte oficial da Câmara Municipal de Espinho diz que que a proibição se verificou “por precaução”, já que as análises laboratoriais conduzidas após o incidente foram “inconclusivas” e não permitiram identificar nenhuma bactéria ou elemento químico em concreto que pudesse ter causado a referida reação alérgica.

Os últimos testes da APA tiveram, contudo, resultados normais, pelo que, desta segunda-feira em diante, as análises às águas dessa praia retomarão a sua periodicidade habitual, sendo que, no caso de Espinho, essas “são efetuadas regularmente às segundas-feiras”.

/ NM