A Guarda Prisional apreendeu telemóveis, drogas e outros artigos numa megaoperação na cadeia de Paços de Ferreira, envolvendo mais de 100 operacionais, que se iniciou na noite de quinta-feira e terminou às 05:30 de hoje, informou fonte oficial.

Para as buscas foram mobilizados dois esquadrões da força especial da Guarda Prisional (Grupo de Intervenção e Segurança Prisional, GISP), guardas do próprio Estabelecimento Prisional (EP) de Paços de Ferreira e cães-polícias.

Em comunicado, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) detalha que da busca resultou a apreensão de 79 telemóveis (proibidos em ambiente prisional), 20 ampolas de anabolizantes, oito seringas, uma balança de precisão, um passaporte, dois pares de luvas de luta.

Também apreendidos foram um alambique artesanal, dois baldes de fruta fermentada, centenas de comprimidos, 45 maços de tabaco, seis caixas de tabaco avulso, 98 gramas de haxixe, 20 gramas de heroína e um grama de cocaína.

“Esta ação decorreu sem que se tivesse verificado qualquer tipo de incidentes e os reclusos em cuja posse foram apanhados os objetos e bens ilícitos serão objeto do procedimento disciplinar e/ou criminal previstos na lei”, sublinha a DGRSP.

A busca, acrescenta, enquadrou-se no trabalho de prevenção e combate à entrada e circulação de produtos e bens ilícitos em contexto prisional, bem como da informação recolhida e tratada a propósito da ocorrência verificada na cadeia de Paços de Ferreira, onde, no sábado, um grupo de reclusos organizou uma festa e transmitiu-a em direito para o exterior, através de telemóvel.

Questionada na quarta-feira sobre o assunto, a diretora da cadeia recusou-se a dar explicações sobre esse episódio, alegando que o assunto está sob investigação.

"Isso agora está a ser investigado. Acho que vai ser uma investigação rápida", afirmou Maria Fernanda Barbosa, em resposta a perguntas de deputados no âmbito da audição realizada na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

Antes, na segunda-feira, o PSD pediu a audição no parlamento da ministra da Justiça para dar explicações sobre episódios recentes de festas em estabelecimentos prisionais, considerando que "faltam recursos e falta organização" neste setor.

No requerimento, o PSD cita notícias segundo as quais, na tarde do passado sábado, um grupo de reclusos do EP de Paços de Ferreira terá organizado uma festa de aniversário e transmitido, através de telemóvel, imagens da festa em direto "sem que seja visto um único guarda prisional por perto".