O sistema  judicial português funciona como se os tempos fossem de férias judiciais, devido ao Estado de Emergência, imposto pela pandemia de Covid-19. Siginifica isto que foi decretada a suspensão dos prazos processuais, com algumas exceções, como são exemplo os processos  considerados urgentes, com arguidos presos.

Por ainda ter um arguido na condição de preso preventivo, o juiz Carlos Alexandre entende ser urgente retomar a fase de instrução do caso Hells Angels. O primeiro dia é a 22 de abril, de manhã, cerca das 9:30.

No despacho a que a TVI teve acesso o magistrado refere que tem todo o Tribunal de Monsanto reservado para as diligências. Vão ser assim, ocupadas as duas salas, para que  possam ser mantidas distâncias de segurança higiénica entre os arguidos que pediram para serem interrogados e os coarguidos que vão assistir. O juiz também refere que vão fazer essa “ponte” entre as duas salas do tribunal por videoconferência.

O magistrado permite também aos arguidos que não compareçam a todas as sessões bem como aos advogados, ficando garantido o envio da videogravação de cada uma das sessões.

Recorde-se que o arranque da fase de instrução do processo Hells Angels, já tinha estado marcada para dia 12 de março. O caso tem mais de 80 arguidos, acusados de crimes violentos, como tentativa de homicídio, roubo e associação criminosa.

Inês Pereira