A Inspeção-Geral das Atividades de Saúde (IGAS) abriu 19 processos disciplinares em 2018, sendo que a maior parte destes processos foram instaurados a médicos.

Os números de 2018 duplicaram em relação a 2017, pelo que adiantou a IGAs ao jornal Público, depois de publicado o Relatório de Atividades e Auto-Avaliação de 2018 da IGAS.

Do total, a grande maioria - 17 processos - foram abertos a médicos. Os outros dois dizem respeito a um enfermeiro e um técnico superior.

A principal razão para a abertura destes processos discilplinares é a prestação de cuidados de saúde. Segue-se a violação de deveres profissionais  e a emissão de incapacidades temporárias ou permanentes.

Dos processos abertos em 2018, ainda estão a decorrer nove, cinco deram origem a sanções e outros cinco foram arquivados.

Nos últimos dois anos, foram suspensos um médico e um técnico superior, sendo que quatro médicos e um assistente operacional foram obrigados a pagar multas. Repreensões por escrito foram feitas a um médico e um enfermeiro. 

Veja aqui o relatório completo:

Relatório de Atividades e Auto-avaliação de 2018 by VanessaCruz on Scribd