O incêndio que deflagrou em Proença-a-Nova no domingo e que lavra esta segunda-feira com intensidade em Oleiros já está próximo do Rio Zêzere, afirmou hoje o presidente da Câmara.

Está uma frente horrível na zona de Pisoria, já perto do Rio Zêzere", disse à agência Lusa o presidente da Câmara de Oleiros, Fernando Marques Jorge.

Segundo o autarca, o município está a estudar a eventual retirada de pessoas devido ao incêndio, salientando que, até ao momento, não há feridos civis a registar.

O rio Zêzere, que passa no norte do concelho de Oleiros, delimita, naquela zona, os distritos de Castelo Branco e Coimbra (concelho de Pampilhosa da Serra).

O fogo que deflagrou em Proença-a-Nova no domingo alastrou aos concelhos de Castelo Branco e Oleiros, sendo neste último município que as atenções da Proteção Civil estavam focadas hoje ao final da manhã.

O incêndio, que queimou quase 2.300 hectares em menos de três horas no seu início, conta com um perímetro de mais de 55 quilómetros, afirmou hoje o Comandante Operacional de Agrupamento Distrital do Centro Sul, Luís Belo Costa, referindo que durante a noite e a manhã foi impossível fazer combate direto à cabeça de incêndio.

Devido às dificuldades no terreno, a Proteção Civil está focada na defesa de pessoas e bens, bem como no combate nos flancos do fogo, por forma a conseguir combater diretamente a linha de propagação ao final da tarde ou início da noite de hoje.

UE apoia Portugal com mapas satélite para combate em Proença-a-Nova

O Centro de Coordenação de Resposta de Emergência da União Europeia (UE) está a acompanhar “de perto” os incêndios em Portugal, nomeadamente o de Proença-a-Nova, tendo hoje disponibilizado mapeamento por satélite de emergência, anunciou a Comissão Europeia.

Com base num pedido urgente de mapeamento por satélite recebido por Portugal relativamente aos incêndios que afetam o concelho de Proença-a-Nova, Castelo Branco, o Centro de Coordenação de Resposta de Emergência ativou o serviço de gestão de emergências Copernicus em modo de mapeamento rápido”, indica a Comissão Europeia em comunicado.

Assegurando que este serviço de proteção civil europeu criado para acompanhar desastres e ocorrências está a “acompanhar de perto os incêndios em Portugal”, o executivo comunitário realça que “as imagens de satélite proporcionam uma avaliação do impacto e da extensão dos incêndios e são um auxilio muito importante para o combate eficaz ao incêndio que se propaga devido ao vento forte”.

Segundo a informação disponibilizada na página da internet do Copernicus, Portugal pediu, através da Autoridade Nacional de Proteção Civil, apoio a Bruxelas no domingo à tarde para dispor de mapas satélite para combater o fogo em Proença-a-Nova, com a ativação a ser feita já hoje de manhã.

/ Publicado por MM