A Federação Nacional dos Professores (FENPROF) espera reunir-se já na próxima semana com a ministra da Educação, Isabel Alçada, e que neste período se inicie um processo de revisão do estatuto da carreira docente, refere a Lusa.

«Iremos colocar logo à cabeça um processo de revisão do estatuto para que, entre outros objectivos, seja alcançado o fim da divisão da carreira docente e a substituição deste modelo de avaliação por um que efectivamente seja sério e justo», disse o secretário-geral da FENPROF, Mário Nogueira, após a primeira intervenção de José Sócrates no Parlamento sobre a Educação.

Sócrates: «Suspender a avaliação era irresponsável»

«Ficamos satisfeitos por o senhor primeiro-ministro ter dito na Assembleia da República que iríamos ter um modelo de avaliação sério e justo porque então significa que este vai ser finalmente suspenso e alterado», declarou.

A FENPRPF sempre considerou o actual modelo desprovido de justiça e seriedade, sublinhando que criou nas escolas um clima de instabilidade, perturbação e conflito.

«O que a FENPROF tem defendido é um modelo sério, rigoroso, claro, mas justo. Esperamos que isso signifique o fim desse modelo de avaliação também assumido pelo Governo, uma vez que penso que o seu fim está já anunciado pelas posições dos partidos políticos da oposição», considerou.

«Relativamente à posição do senhor primeiro-ministro de não ajustar contas com o passado nas negociações que aí vêm, também é o que nós queremos. Não faz sentido que neste futuro que agora se aproxima continuássemos a ter uma relação tão negativa e tão contrária ao que deve ser a negociação e o clima de diálogo como aquela que aconteceu em quatro anos e meio», afirmou.

Professores: FNE diz que Sócrates faz discurso contraditório

José Sócrates anunciou hoje no Parlamento que o Governo está disponível para «melhorar e aperfeiçoar» a avaliação dos professores, mas não para «destruir», dizendo que a ministra da Educação, Isabel Alçada, tomará «de imediato» a iniciativa do diálogo com os sindicatos.

«Não esperávamos mais nada que não fosse uma rápida reunião com a senhora ministra da Educação, esperamos até que seja já na próxima semana», indicou Mário Nogueira.
Redação / CR