Há doentes que esperam meses por uma junta médica e há doentes que morreram antes de serem avaliados. Há também pessoas muito doentes que estão a ser obrigadas a trabalhar.

Só no ano passado foram chamados mais de 320 mil doentes para juntas da Segurança Social.

No entanto, há cada vez menos pessoas a conseguir a pensão de invalidez. Nos últimos 17 anos, o número desceu 49%.

Os doentes descrevem as juntas como um ato humilhante e frio. Acusam os médicos de fazerem avaliações em menos de um minuto e sem sequer olharem para os relatórios que levam. Estes médicos são tarefeiros contratados pela própria Segurança Social, o que pode comprometer a sua autonomia.