Em Portugal há um negócio imobiliário ilegal nos bairros sociais, que envolve muito dinheiro.

Sabia que há grupos organizados que vendem as chaves das casas de habitação social, subarrendam-as e até as ocupam ilegalmente?

Alguns municípios já detetaram este negócio paralelo, mas a verdade é que não fazem nada para acabar com ele e protegerem os que mais precisam.

Fiscalização quase não existe e, portanto, quem verdadeiramente precisa de apoio fica na lista de espera eternamente, porque as casas vazias nunca são entregues.

Resultado, neste Portugal do séc. XXI há pessoas que continuam a viver na rua, em guetos ou em garagens, sem condições mínimas, com idosos, deficientes, crianças e até bebés.

O sistema de proteção social falha, os bairros sociais estão degradados e votados ao abandono e as dívidas de rendas de habitação social já ascendem a quase 50 milhões de euros.

Bernardino Soares, presidente da Câmara de Loures, recusou ser entrevistado pela TVI. Manuel Machado, autarca de Coimbra, não nos atendeu, mas o vereador da habitação enviou-nos um email a dizer que este tem de ser um problema a resolver pelo Estado.

Andreia Jorge Luís