Luís e Sara fizeram um seguro de vida na sequência de um crédito à habitação no banco Santander. E 15 anos depois, quando precisaram, perceberam que foram enganados.

Esta é uma história de vida, impressionante, de injustiça e de luta contra o tempo,  o tempo que Luís não tem.

Há três anos, soube que tinha uma doença fatal: esclerose lateral amiotrófica. Nesse dia, ficou também a saber que a seguradora não ia pagar nada.

Em causa, um documento que não está datado nem assinado, com uma lista infindável de riscos excluídos. A doença de Luís era precisamente uma das doenças que ficava de fora, sem que nunca tivesse sido comunicado à família.