Na Madeira, o JPP, Juntos Pelo Povo, está a ser investigado pelo Tribunal de Contas por ajustes diretos milionários a um membro do partido.

Um milhão de euros foi adjudicado a uma sociedade de advogados, cujo sócio é uma das figuras de relevo do partido.

Contas feitas, estes contratos custaram 27 mil euros a cada habitante de Santa Cruz, ou seja, quase 700 euros por dia.

Números que não impressionam o presidente da Câmara de Santa Cruz, que é simultaneamente presidente do JPP, e que até está disposto a pagar mais um milhão.

Recorde-se que o JPP governa com maioria absoluta nesta autarquia.